Doenças Espirituais

De acordo com as definições acadêmicas, a doença se caracteriza por um conjunto de sinais e sintomas específicos que atinge um ser vivo, criando alterações em seu estado normal de saúde.

A característica lógica principal é a ausência de saúde e um desiquilíbrio que provoca distúrbios das funções físicas e mentais. Isso poderá ser causado por dois fatores distintos: exógenos (externos, do ambiente) ou endógenos (internos, do próprio organismo).

O profissional de Medicina, ao examinar seu paciente, procura descobrir os sinais e sintomas associando-os a uma determinada doença. Também solicita exames. Assim, de posse de um conjunto probatório provenientes dos resultados e observações, o médico difunde um diagnóstico que será o ponto de partida para o tratamento.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica doença como a ausência de saúde e disponibiliza para a sociedade a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde, designada pela sigla CID. Nela temos acesso à classificação das doenças e à grande variedade de sinais, sintomas, aspectos normais, queixas, circunstâncias sociais e causas externas para ferimentos e doenças.

Na busca investigativa para descobrir de qual doença se trata, depara-se com as doenças ditas espirituais. Em definição, doença espiritual é aquela que se diz ter origem no espírito de um indivíduo. Na visão das religiões espíritas e espiritualistas de uma maneira geral, as doenças têm origem e solução no próprio indivíduo.

Assim as doutrinas espíritas alertam que a doença espiritual pode ser motivada pela necessidade de aprendizado que um espírito tem, ou pela necessidade coletiva que um grupo de espíritos tenha de aprender por meio da doença. Em muitos casos só se consegue a evolução do espírito através das enfermidades que atuam no corpo físico e mental. Ainda, existe a possibilidade de a doença servir como “freios” para vícios que o espírito costuma reincidir ao longo das múltiplas reencarnações.

Entre as doenças espirituais, temos as obsessões espirituais que se caracterizam por uma suposta influência de seres espirituais que influenciariam as pessoas devido aos seus pensamentos impuros, que em consequência geraria ao obsediado doenças físicas e psíquicas.

Para o criador do espiritismo, Allan Kardec“[…] a obsessão é o domínio que alguns espíritos logram adquirir sobre certas pessoas. Nunca é praticado senão por espíritos inferiores que procuram dominar o obsediado. É a ação persistente que um espírito mau exerce sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diversos, desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais.”

Ainda hoje grande parte da comunidade científica mais cética não acredita que existam doenças de cunho espiritual.

Em contesto, temos o neurocientista Dr. Núbor O. Facure, que alega“[…] toda doença, de qualquer natureza, tem sempre uma motivação espiritual”.

Em síntese, “[…] as obsessões espirituais seriam doenças da alma […]”, conforme é encontrado nas teses mais recentes da Medicina espiritual defendidas na Universidade de São Paulo (USP) pelo Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, médico coordenadora cadeira de Medicina e Espiritualidade na USP, pesquisador em Neurociências e diretor clínico da Pineal Mind.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) a partir de 1998 incluiu o bem-estar espiritual como uma das definições de saúde, ao lado do aspecto físico, mental e social. Desta forma, a obsessão espiritual oficialmente passou a ser conhecida na Medicina como possessão e estado de transe, que é um item do CID, conforme se observa: “CID-10, item F.44.3 – define estado de transe e possessão como a perda transitória da identidade com manutenção de consciência do meio-ambiente, fazendo a distinção entre os normais, ou seja, os que acontecem por incorporação ou atuação dos espíritos, dos que são patológicos, provocados por doença.”

Nesta esteira, a alucinação é um sintoma que pode surgir nos transtornos mentais psiquiátricos, nesse caso seria uma doença, um transtorno dissociativo psicótico, aquilo que popularmente se chama de loucura. A alucinação também poderá surgir pela interferência de um ser desencarnado das trevas, a obsessão espiritual.

Em conclusão, a Medicina já pode e deve fazer distinção entre o estado de transe normal e o anormal. O transe normal seriam as incorporações mediúnicas estudadas pela Parapsicologia. Outro caso do transe normal seriam as atuações dos espíritos ditos como inferiores (obsessões espirituais), definidas também como doenças da alma. E o transe considerado anormal seriam os casos psicóticos ou doenças patológicas.

Hoje alguns Parapsicólogos Clínicos Integrativos e também Grupos de Atendimentos Espirituais encontram na técnica de Apometria, um tratamento eficaz em relação às pessoas que estejam acometidas de alguns tipos de doenças ditas espirituais.

CURRÍCULO: Professor EUCLIDES DE ALMEIDA SILVA

Diretor do Instituto de Parapsicologia de Joinville – Namaskar;

Área Jurídica e de Segurança Pública: Bacharel em Ciências Jurídicas pela Universidade Braz Cubas – UBC, Curso de Agente de Polícia Federal e de Delegado de Polícia Federal pela ANP – Academia Nacional de Polícia.

Área de Saúde Integral e Parapsicologia: Curso de Biopsicologia pelo Instituto Visão Futuro; Cursos de Parapsicologia, Hipnose e Regressão, Apometria Quântica, Física Quântica Aplicada a Realidade Humana e Curso Livre de EFT.

Autor: namaskar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *